Faz tempo que não escrevo poemas. Me lembrei disso…

09/02/2007

Faz tempo que não escrevo poemas. Me lembrei disso ontem, na fila do banco. Nem tinha tanta gente, e eu olhava pro chão. Era só um depósito, numa tarde vazia de coisas pra se fazer. Geralmente escrevo poemas de madrugada. E nem é que não tenho ficado acordada durante as madrugadas. Nada mudou. Mas mudou. Porque eu não tenho sentido vontade de escrever palavras queridinhas, nem nada que possa parecer muito doce. Não ando me enxergando como uma pessoa de muitas doçuras. Mas isso não é ruim. Não estou dizendo que é. Só não me vem naturalmente a delicadeza pra escrever um texto pé na lua. Daí penso que um poema não precisa ser eu, e caio em contradição. Um blog não precisa ser eu, e caio novamente em contradição, porque tenho muita coisa pra falar. Muita mesmo. Talvez eu fale, talvez eu encha isso aqui de sentidos. Prefiro, por sinal. Sentido dá uma idéia multifacetada de tato, de cheiros, de sentido na pele. E também não me importa o que vão dizer. Os textos que eu quero que sejam entendidos em linha reta, eu escrevo em linha reta. Os textos a que eu quiser dar múltiplos sentidos, usarei metáforas. E entenda-os como quiser, viu? Te dei liberdade pra isso. Tenho aqui uma mistura meio difícil de dissociar. Uma fome de jornalismo literário, e de literatura. Geralmente pendendo mais ao subjetivismo. Uma vontade de contar sobre o tempo. O meu e o de tanta gente que passa pela minha cabeça. E o tempo que acho escondido pelos cantos da casa. As palavras aqui falam das coisas. Só isso. Se elas passaram por mim, ou cruzaram o caminho de quem quer que seja, não interessa. Elas contam coisas, reais ou imaginárias. Se daqui a alguns minutos as frases aqui parecerem desbotadas, pouco importa. Minha necessidade é de escrever.

Anúncios

6 Respostas to “Faz tempo que não escrevo poemas. Me lembrei disso…”

  1. Says:

    Quem lê até pensa…
    Tu és um doce de pessoa sempre!
    Ok, ok… tu não, teus personagens!

    (E uma mirabolante escritora…)
    :)

  2. cris Says:

    Que eu sou um doce, eu sempre soube, Jô! Hehehe

    Não, falando sério. Eu não quis dizer que eu ando amarga! Mas tou mesmo com saudade de escrever coisas mais simples, e poeminhas bobos sem muito nexo. só que não tenho tido muito saco pra parar, pensar, e escrever. Acho que minha falta de vontade tem nome: preguiça, um dos 7 pecados capitais.

    Preciso ler menos jornais e mais vinícius de Moraes.

  3. masimon200 Says:

    Essa é a minha menina!
    mãe

  4. Natusch Says:

    Eu costumo dizer que um blog é um exercício sobre a futilidade. É fútil falar de nós mesmos: mesmo assim, é de nós mesmos que falamos o tempo todo. O negócio é tirar algo de extraordinário do meio do fútil – como em qualquer texto, aliás.

    Acho que tu tá no caminho certo :)

  5. Paulo Says:

    Caramba, eu estive pensando sobre algo muito parecido. Perdi o impulso da poesia, porque ultimamente tenho tanta coisa para tratar racionalmente, em prosa, com argumentos e encadeamentos lógicos, que o pensamento circular e rítmico da poesia ficou abafado, as imagens desapareceram… Por sinal, escrevi sobre isso no meu caderninho, mas não cheguei a postar!

  6. evanny Says:

    Ataa!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: