Coisas que me cativam em um livro

23/01/2008

Aqui:

_ Vão tomá-lo de mim, compreende. Pelo menos se alguém o recolhesse… Mas não! Com aquelas feridas enoja todo mundo. A carrocinha vai apanhá-lo, tenho certeza.

Eu lhe disse então que se dirigisse ao depósito de cães e que eles o devolveriam, mediante o pagamento de alguma taxa. Perguntou-me se era muito caro. Eu não sabia. Então, irritou-se:

_ Dar dinheiro por aquele cão nojento? Ah, ele que se dane! – E pôs-se a xingá-lo.

Raymond riu e entrou na casa. Segui-o. Despedimo-nos no corredor. Pouco depois, ouvi os passos do velho e ele bateu à porta. Quando abri, ficou uns momentos na entrada.

_ Desculpe, desculpe – disse-me ele.

Convidei-o a entrar, mas ele não quis. Olhava para as pontas dos sapatos e as mãos cheias de crostas tremiam. Sem me encarar, perguntou-me:

_ Não vão tirá-lo de mim, não é, Sr. Meursault? Vão devolvê-lo, não vão? Senão, o que vai ser de mim?

Expliquei-lhe que os cães ficavam durante três dias no depósito, à disposição dos donos, e que, depois disso, faziam deles o que bem entendiam. Olhou para mim, em silêncio. Depois, disse:

_ Boa noite.

Fechou a porta, e eu o ouvi andar de um lado para o outro. A cama dele rangeu. E, pelo estranho barulho que atravessou a parede, compreendi que estava chorando.*

E ainda, aqui:

O gatilho cedeu, toquei o ventre polido da coronha e foi aí, com um barulho ao mesmo tempo seco e ensurdecedor, que tudo começou. Sacudi o suor e o sol. Compreendi que destruíra o equilíbrio do dia, o silêncio excepcional de uma praia onde havia sido feliz. Então, atirei quatro vezes ainda no corpo já inerte, em que as balas se enterravam sem que se desse por isso. E era como se desse quatro batidas secas na porta da desgraça.**

E, por fim, aqui:

Acho que dormi, pois acordei com estrelas sobre o rosto.***

Os trechos são de O Estrangeiro, de Albert Camus, livro que acabei de devorar, deitada na cama e com os pés na parede. Comecei curiosa, porque já ouvi falar muito, mas a leitura parecia não avançar nunca. Tanta inércia tinha que mudar em alguma linha ali. Não era possível. E mudou. Eu sublinhei os trechos acima, no livro. Gostei deles. Depois me dei conta de que esses foram os trechos em que os personagens começaram a demonstrar algum sentimento, tão pouco visível na obra. O Sr. Meursault, personagem principal, parece não mexer as sobrancelhas nunca. Não se surpreende, fala pouco, só sente calor, calor e calor. É de um vazio incômodo, sem emoções, sem movimento. Niilista. Chato, ele, assim como o velho Raymond, dono do cachorro sarnento que desapareceu. O legal é que em curtos momentos, e em frases cheias de vírgulas, todos os personagens acabam deixando escapar um pouco de sensibilidade.

* página 42
** página 60
*** página 121

Anúncios

21 Respostas to “Coisas que me cativam em um livro”

  1. Vica Says:

    Esse aí é mais um que eu tenho que ler. Tô lendo O Passado e finalmente surgiu um trecho que eu quero publicar. Ele é bom desde o começo, mas tá ficando cada vez mais angustiante!

  2. poetriz Says:

    Coisas que me cativam num livro:
    – Identificação com algum personagem,
    – Clareza de idéia (odeio enrolação de trinta capítulos até a história começar de fato)
    – Citações que sejam grandes verdades, daquelas que a gente pensa: “por que eu não pensei nisso antes?” ou “será que está falando de mim?” ou ainda “eu sou exatamente assim”.

    E como dispenso ficção científica, gosto de histórias plausíveis e nada de gente milagrosamente se curando e sendo feliz pra sempre.

    Vim aqui recomendada pela San do Isso é Bossa Nova…
    Ela insistiu que eu “tinha que te conhecer”…

    Bjocas!

  3. Cris Says:

    Vica! Tentei comentar lá no teu blog sobre esses trechos de O passado, (trechos que adorei, por sinal), e não consegui. Não entendi = (
    Vou tentar de novo hoje. Tinha feito um comentário bem grandinho e quando cliquei em enviar, foi-se…

    Poetriz, venha sempre! Agora em fevereiro passarei uns dias aí em SP, então marcamos qualquer coisa, eu, tu e a Sandra! = )
    Beijo

  4. LAIZ MARA Says:

    Adorei seu blog…
    intenso…
    Coisas simples e de muita intensidade me instigam os sentidos…
    Me adicione aos seus favoritos…também adicionarei o seu.
    Um abraço.

  5. Edu Says:

    Eu tinha passado por aqui também.
    Mas não deixei recado, estava na redação, e com algumas matérias para finalizar.
    Adorei seu bloguê.

    Bom, se aceitares o convite, podemos todos tomar aquele café.
    Risos.

    meu msn edhen_sv@hotmail.com

  6. Marcio Says:

    Oi

    Não sei se você já leu, mas se gosta do Camus, leia A Queda. Na minha opinião, a obra prima do mestre Albert

    Excelente blog

    Beijos

  7. Natusch Says:

    Ando devendo Camus para mim mesmo faz um tempão. Em compensação finalmente estou lendo Faulkner – e achando maravilhoso \o/
    Beijo, moça :)

  8. Lizi Says:

    como prova de que não estou chateada, até botei um link pra ti lá no meu blog também!!
    heheheheh

    mas está sob judice… qualquer ato falho, te excluo!!
    hahahahaha
    Bjos

  9. Lizi Says:

    E sobre o livro…
    To precisando ser sacudida por ele de novo!

  10. Vica Says:

    Oi, Cris, pois não sei o que houve com os comentários, acho que estão funcionando… Postei sobre o filme O Perfume… quero ler esse livro também.

  11. Cris Says:

    Oi, Laiz = )
    Obrigada. Vou dar uma passada no teu blog.
    Beijocas

    Edu, tá combinado!
    Quando eu chegar aí, vamos todos tomar um café.
    Vou combinar com a Flávia e com a Sandra.

    Marcio, não li ainda. O Estrangeiro foi o primeiro livro que li dele. Valeu pela dica. Vou procurar : )
    Beijos

    Natusch,
    Bah, não adianta, é muito livro pra pouca vida, tu não acha?! Nunca vai dar tempo pra ler tudo! Hehehe = )

    Lizi, não me excluiiiii! Juro que nunca mais faço testes!
    Tu ainda é minha amiga, né?! Hehehe
    Beijoca!

    Vica, agora consegui comentar. E eu tou lendo Perfume! Muito bom, só que imagino o filme, porque já assisti = \
    beijão

  12. Clara Says:

    “O legal é que em curtos momentos, e em frases cheias de vírgulas, todos os personagens acabam deixando escapar um pouco de sensibilidade.”

    que bom que tu pode perceber isso, na vida “real” também é assim, alguns transbordam sensibilidade e outros tentam a esmo fingir que não sentem nada…

    saudades muitas

  13. gabriel Says:

    preciso terminar os livros que começei….preciso parar de ler livros cientificos…preciso…voltar a ler….temo pela minha inspiração….temo que ela se perca diante da tv…que começo a ver estou assistindo demais…e lendo coisa boa de menos….mas faz parte da tese…livros cientificos e tv para relaxar…por que vista começa a cansar…
    me estendi por isso acho que é só isso…
    e saudações…a ti…

  14. ma Says:

    No Caçador de Pipas encontrei alguns trechos como este:
    …Pouco importa o que diga este mulá;Existe apenas um pecado,um só.E este pecado é roubar.Qualquer outro é simplesmente uma variação do roubo….Quando vc mata um homem, está roubando uma vida-disse baba.-Está roubando da esposa o direito de ter um marido,roubando dos filhos um pai.Quando mente,está roubando de alguém o direito de saber a verdade.Quando trapaceia,está roubando o direito à justiça.Entende?… pg 25
    …..
    …Depois disso Hassan ficou circulando pelas beiradas da minha vida…pg 9
    e ainda :
    ..Baixei os olhos para Sonrab.Um dos cantos da sua boca tinha se curvado um tantinho para cima.
    Um sorriso.
    De um lado só.
    Que mal se notava mas estava ali.
    Tinha sido apenas um sorriso,e nada mais.As coisas não iam se ajeitar por causa disto.Só um sorriso.Um sorriso minúsculo.Uma folhinha em um bosque,balançando com o movimento de um pássaro que alça vôo.
    Mas me agarrei aquilo.Com os braços bem abertos.Porque,quando chega a primavera,a neve cai derretendo floco a floco,e talvez eu tivesse testemunhado o primeiro floco que se derretia….Pg 364
    …e por aí vão as expressoes e pensamentos que me encantaram neste livro…
    Abração

  15. Luís Felipe Says:

    o que eu considero mais sensacional neste livro (mais sensacional é um pleonasmo?) é a fina ironia. Camus é um Twain menos prolixo.

  16. matheus Says:

    posta! posta! posta!

  17. Cris Says:

    Clara, saudades também. Um dia nossos horários batem e eu te visito. Sim, antes de tu ir pra casa nova! = )

    Gabriel, é um tempo. Depois tu volta com a corda toda e lê o que tu quer, sem precisar te prender a lógicas. Agora tá uma maravilha, eu leio o que quero, mas porque estou em férias na faculdade. Durante as aulas é uma competição bizarra entre os textos das aulas (alguns interessantes, outros nada agradáveis) e os livros e revistas que me enchem os olhos. E a monografia ainda vem pela frente… = \

    Mãe, deu vontade de ler. Eu não vou ver o filme antes, porque vai perder a graça. Tou lendo Perfume e o que tá acontecendo é que eu fico imaginando as cenas do filme no meio dos parágrafos. Acho isso tão ruim!

    Luís, achei o livro genial. Tu definiu bem o espírito: requinte na ironia.

    Matheus, que bom que tu passou por aqui!
    Eu vou postar, sim. Tou com umas coisas na cabeça. Ia fazer isso hoje ainda, mas não consegui. Mas vou tirar as teias desse lugar!
    Beijão!
    : )

  18. Gustavo Says:

    Eu fiz o mesmo esses dias com O Principe, de Maquiavel, lia e escrevia num bloco as partes que achava interessante. Impressiona pois o livro e’ muito antigo mas algumas colocacoes parecem escritas ontem.

    Beijo

  19. Vica Says:

    Não vai mais escrever? Eu ainda vou fazer mais um post sobre O Passado.

  20. Cris Says:

    Gus, te falei que fiz um trabalho sobre esse livro nas aulas de filosofia do colégio? Foi aí que conheci o termo “maquiavélico”. Na faculdade, nas aulas de teoria política, é que mudei minha visão sobre o Maquiavel e estudei ele um pouco mais.

    : )
    Saudades, moço.

    Vica, vou escrever sim. Bah, não tenho parado muito, e quando chego em casa tenho ficado pouco no micro. Mas ainda essa semana atualizo o blog. Vi que tu tá escrevendo sobre O passado. Tinha te falado que eu estava lendo “Perfume”… Na real ainda estou, bem lentamente, mas estou. Só que me irrita associar tudo ao filme. Nunca mais vejo um filme baseado em livro se tiver a intenção de ler o livro… = \
    Beijocas! : )

  21. Gustavo Says:

    Nao falou nao…
    beijos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: