Por Não Estarem Distraídos

23/06/2008

Preciso ler mais coisas da Clarice Lispector. Se eu morresse hoje, conhecer tão pouco as obras dela seria um dos meus lamentos, acredito. Gosto tanto da Macabéa e da sua coleção de anúncios em A Hora da Estrela. DA-TI-LÓ-GRA-FA, orgulhava-se. Li umas partes de A Paixão Segundo G.H., livro sobre o qual o Noah tem uma teoria bem interessante, mas foram partes distantes, nada linear. Isso não chega a ser má índole, porém é uma falta grave.

Pois bem, o acesso apressado pela web me impede de saber como cheguei ao texto que dá nome a esse post, mas isso não importa, o que importa é o que vem a seguir.

“Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos, a alegria como quando se sente a garganta um pouco seca e se vê que por admiração se estava de boca entreaberta: eles respiravam de antemão o ar que estava à frente, e ter esta sede era a própria água deles.

Andavam por ruas e ruas falando e rindo, falavam e riam para dar matéria peso à levíssima embriaguez que era a alegria da sede deles. Por causa de carros e pessoas, às vezes eles se tocavam, e ao toque – a sede é a graça, mas as águas são uma beleza de escuras – e ao toque brilhava o brilho da água deles, a boca ficando um pouco mais seca de admiração.

Como eles admiravam estarem juntos! Até que tudo se transformou em não. Tudo se transformou em não quando eles quiseram essa mesma alegria deles. Então a grande dança dos erros. O cerimonial das palavras desacertadas. Ele procurava e não via, ela não via que ele não vira, ela que, estava ali, no entanto.

No entanto ele que estava ali, tudo errou. E havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram.

Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios.
Tudo, tudo por não estarem mais distraídos
.”

Lindo, né? Triste também. Alguém sabe em que livro foi publicado? Eu não achei…

Pensei em ilustrar com uma foto dela, mas eu preciso confessar uma coisa: eu acho as fotos da Clarice Lispector enjoativas, apesar do charme que ela tinha. Sempre me assusto um pouco quando vejo aqueles olhos grandes e sérios. A Lispector tinha no rosto vários elementos que poderiam fazer dela uma pessoa de impressão antipática à primeira vista. As sobrancelhas finas e bem traçadas, altas, o rosto pontiagudo e bochechas fundas e ossudas. Puro charme. O Manuel Bandeira escreveu em um livro de crônicas que aprendeu a sorrir por influência de sua mãe, de quem herdou os dentes grandes. Dizia ele que havia meditado muito sobre esse problema da antipatia dos dentuços, e que o dentuço que não ri para que não se perceba que ele é dentuço está perdido. Talvez com a Clarice Lispector também fosse assim. Talvez as sobrancelhas lhe conferissem um ar rígido e imponente quando séria. Sorrindo, tudo isso se desfaz e vira ternura.

Clau, me empresta o livro de entrevistas dela?

O Romanoff me devolveu O Estrangeiro, do Camus. Disse que leu em poucos dias, mas que não é o grande livro da vida dele. Como prometido, me emprestou Eu Receberia As Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios, do qual eu já falei em outro post, mas não sei se vou conseguir ler agora. Acredito que até o fim do mês termino o que estou lendo há um século, já (não por falta de vontade), e começo então esse. Tenho ainda ao lado da minha cama, me esperando, um livro de mitos que encontrei pela casa. Bem bacana. É da minha irmã.

* * *

Mas QUE BEM essa trilha sonora do filme Viagem a Darjeeling, ãhm? Quando vi o filme, imaginei que fosse boa, mas agora, ouvindo na íntegra, melhor ainda.

Anúncios

17 Respostas to “Por Não Estarem Distraídos”

  1. clau Says:

    lindo o trecho. empresto sim o livro, tu vai amar. eu teria postado, contrariando o teu ponto de vista, uma imensa foto dela, dos olhos deslumbrantes que ela tinha. é engraçado, porque se pode ver a Clarice dentro do que ela escreve, é como se eu pudesse ouvir a voz da escritora (imagino que ela tivesse uma voz maravilhosa). que mania que eu tenho de me apaixonar pelos meus escritores favoritos.

  2. Cris Says:

    Clau, acho sim, que ela é uma pessoa charmosíssima e linda, também. Enigmática, tu diria, e eu concordaria. Não achei nenhuma foto diferente dela, e as que achei, já tinha visto. Por isso acho enjoativo. Mas o rosto dela tem algo que atrai muito, né? Eu gosto dessa seriedade aparente.
    Pego o livro contigo na terça. Obrigadaaa! = )
    Beijo

  3. Ricardo Says:

    Realmente, deves ler mais, e mais, sobre Clarice. Quem sabe entrevistas no You Tube?

  4. gabriel Says:

    preciso ler mais Clarice LIspector também…e ainda bem que você voltou a velha forma…ainda bem…

    e ai já conseguiu escutar katie melua…eu acho que talvez você possa vir a gostar…quem sabe..

    saudações a ti

  5. Sandra Leite Says:

    comprei a hora da estrela sábado..sabe onde? FNAC da Paulista…

    saudade?

    beijos


  6. Bah também quero saber de que livro é!!!! Só li A Hora da estrela, que comprei nas férias de verão. A Macabéia me deu agonia, apesar de gostar de alguns textos do início. Preciso ler mais Clarice e preciso ler o resto deste trecho!!!

  7. Cris Says:

    Ricardo, no You Tube tem várias ; )


    Nesse ela disse que escolhia os livros que lia pelo títulos e não pelos autores. Que tri.

    Gabriel, eu ouvi ela, mas não deu AQUELE estalo, sabe? Não sei. Ela tem a voz muito bonita, mas não sei…
    Beijo! ; )

    Ahh, Sandra, que invejinha de ir lá. A Hora da Estrela foi o último que ela escreveu antes de morrer e tem em filme tb. Mas lê o livro antes de qualquer coisa ; )

    Fê, eu li por causa do vestibular. Era leitura obrigatória, ainda bem.
    Se não me engano, esse texto é só isso mesmo. Não tem mais trechos.
    = )

  8. Vica Says:

    Que lindo mesmo esse trecho. Soco na cara. E eu tô louca pra ver esse filme.

  9. gabriel Says:

    que pena que vc não gostou…mas!!! achei parecida com Beth orton..sei lá…que pena…

  10. Cris Says:

    Vica, e vai ver se não somos assim…
    Beijo!

    Gabriel, eu adoro a Beth Orton! = )
    Aceito mais indicações. O que tu achar que eu vou gostar, me fala, porque temos gostos parecidos pelo que já vi no teu blog =)
    Só a Katie é que estranhei um pouco.

  11. emily Says:

    bah, facada esse texto dela. quando descobrir onde tá, me avisa! beijo, cris.

  12. Cris Says:

    Emily. Descobri. Ou melhor, descobriram pra mim. Tá no livro Aprendendo a Viver.
    Beijo.

  13. prill Says:

    queria dizer mais que !esive aqui…”

    lembrando de não fingir mais orgasmos acadêmicos: estou com dor de cabeça.

  14. gabriel Says:

    por onde andas?

  15. maria paula Says:

    tu escreve MUITO, cris! muito no sentido de muito bem. agora tem que escrever mais! smacks ;)

  16. ma Says:

    volta logo pra cá que estou com saudades do que vc escreve…

  17. Cris Says:

    Maria, coisa boa ouvir isso! : )
    Ah, sim. Ando com vergonha do abandono desse lugar. Resolverei isso logo… Beijos, beijos!

    Mãe, eu devia ter feito mais manha, daí tu dava uma passeada aqui pelo Sul por uns dias, né? Na próxima, te prepara.
    Beijo na testa.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: