A função da arte

12/09/2008

“Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovadloff, levou-o para que descobrisse o mar. Viajaram para o Sul.

Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando.

Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar, o mar estava na frente de seus olhos. E foi tanta a imensidão do mar, e tanto o seu fulgor, que o menino ficou mudo de beleza.

E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai:

Me ajuda a olhar!

Tirei d’O Livro dos Abraços, do Eduardo Galeano. Página 15. É um livrinho pequeno, daqueles que tu nunca vai ler inteiro de uma vez só. Às vezes abro em algumas páginas, aleatoriamente, leio e fecho novamente. Esse é o meu segundo texto favorito dali. O primeiro é este.

* * *

PS. Pela milésima quinta vez, lá vem um dia cinza me ganhar no silêncio. Nada como um guarda-chuva vermelho no meio de tantas sombrinhas pretas. Definitivamente, o mundo não acabou(!). E olhem as cores destes vídeos. Eu fico meio bêbada quando vejo coisas assim. Da Stars. Canadenses, só podia. São muito caprichosos.

O início é meio bizarro, mas o azul (branco? branco.) aparece logo.

Anúncios

16 Respostas to “A função da arte”

  1. sara Says:

    Eu adoro este texto, diz tanto em um espaço tão pequeno…
    O livro é ótemo…
    Beijão


  2. eu deveria retomar a leitura desse livro. e eu li um livro desse Santiago Kovadloff, chamado O silêncio primordial. são vários ensaios em que ele fala sobre o silêncio na poesia, na música, na pintura… num sentido mais profundo do que “a ausênica de som”. é muito interessante, principalmente o ensaio sobre poesia. descobri o livro há um tempão lendo essa resenha aqui: http://www.digestivocultural.com/colunistas/imprimir.asp?codigo=1448

    Com ajuda dos atendentes do Google :P, lembrei da epígrafre do livro:
    “Aquilo que se mostra é apenas um aspecto do invisível”. frase de um grego, o Anaxágoras.

    beijo!

  3. Anônimo Refletido Says:

    Cara Usineira de Palavras,
    A arte tem a função de ser disfuncional. E é arte porque é espelho. Mais reflete, mais arte é. Por isto não há arte bonita ou feia, há arte que espelhada e opaca.
    Contradiz o opaco de tantas realidades, de tanta não arte que há na vida
    Um poema de Borges diz isto de maneira muito mais interessante do q a minha
    1 ab

    ARTE POÉTICA
    Mirar o rio, que é de tempo e água,
    E recordar que o tempo é outro rio,
    Saber que nos perdemos como o rio
    E que passam os rostos como a água.

    E sentir que a vigília é outro sonho
    Que sonha não sonhar, sentir que a morte,
    Que a nossa carne teme, é essa morte
    De cada noite, que se chama sonho.

    E ver no dia ou ver no ano um símbolo
    Desses dias do homem, de seus anos,
    E converter o ultraje desses anos
    Em uma música, um rumor e um símbolo.

    E ver na morte o sonho, e ver no ocaso
    Um triste ouro, e assim é a poesia,
    Que é imortal e pobre. A poesia
    Retorna como a aurora e o ocaso.

    Às vezes, pelas tardes, uma face
    Nos observa do fundo de um espelho;
    A arte deve ser como esse espelho
    Que nos revela nossa própria face.

    Contam que Ulisses, farto de prodígios,
    Chorou de amor ao avistar sua Ítaca
    Humilde e verde. A arte é essa Ítaca
    De um eterno verdor, não de prodígios.

    Também é como o rio interminável
    Que passa e fica e que é cristal de um mesmo
    Heráclito inconstante que é o mesmo
    E é outro, como o rio interminável.

  4. Cris Says:

    Sara, foi tu que me mostrou ele, lembra?
    Leu pra mim : )
    Beijão

    Ricardo,
    Me interessou, o livro do Kovadloff. Nunca li nada dele. Da epígrafe, me lembrei de algo no mesmo sentido, tirado do teu livro, que comecei a ler ontem. Era assim (não sei se exatamente assim, mas estou no trabalho e sem o livro aqui): “não deveríamos nos preocupar em descobrir os mistérios das pessoas, mas prestar atenção no que elas nos mostram”. Depois acho o trecho e te mando certinho. Estou adorando! Ontem comecei a ler e não parava mais. Só o maldito sono me derrubou. Terminarei num pulo!
    Beijos

    Anônimo Refletido,
    que lindo : )

    Escrevi há um tempo por aqui que a arte talvez fosse a forma mais nobre para alcançarmos a imortalidade (seria pretensão?). Continuo pensando que essa função, embora implícita, está em tudo que o homem produz com base no que sente: viver agora, os dias, transpirar o que não cabe no corpo, no limite da carne, e deixar que a arte sobreviva à terra que espera o corpo.

    “Dizem que toda obra de arte é uma tentativa de transcender a morte e a inevitável finitude do corpo. Apego à vida, em essência. Permanecer na terra por um pouco mais de tempo do que o corpo.”

    Beijos e uma boa semana pra ti!
    : )

  5. maria paula Says:

    demais, cris!
    adoro galeano. conhece “la mala racha”? é muito bom, meio que me marcou aí por 2001… hace tiempo! beijo

  6. gabriel Says:

    me ajuda a olhar também…

  7. Anônimo Transcendido Says:

    CaraCris,

    “viver agora, os dias, transpirar o que não cabe no corpo, no limite da carne, e deixar que a arte sobreviva à terra que espera o corpo”. Uau! Gostei. Direta ao âmago. Precisa, essencial.
    A arte vem do descabido. E, por não ter cabimento, transcende. Transborda. É nossa necessidade de desmedida. Nossa pretensão. O “coração vagabundo que não se cansa de ter esperança de um dia ser tudo o que quer”. É o desejo. Fome de infinitude. De transcendência. A arte é a grafia do desejo. E o desejo, a busca da imortalidade. Mesmo que seja a imortalidade de um segundo.
    a,b,

  8. Rafael Terra Says:

    Saudade de sua pessoa :)

  9. Sandra Says:

    Cris,

    Como estão as coisas? :) Não esqueça de mim, ok? Se estiver off line, manda um email.

    take care.

    besos, hermana

  10. Cris Says:

    Maria Paula, lindo, né?
    Não conheço. O Livro dos Abraços foi o único que li dele até agora, além de textos soltos…
    Beijocas!

    Gabriel
    :)

    Anônimo transcendido, lembrei-me do teu comentário sobre arte durante uma leitura recente. Alguns trechos:

    “O artista é o criador de coisas belas. Revelar a arte e ocultar o artista é a finalidade da arte”.

    “Vício e virtude são para o artista materiais para uma arte”.

    E a frase final é: “toda arte é completamente inútil”.

    Isso é do prefácio de O Retrato de Dorian Gray, do Oscar Wilde. Acho que uma hora dessas vou postar o texto inteiro.
    :)

    Rafa, não tou em Porto Alegre, e quando saí, tu estava em férias. Na volta marcamos algo =)
    Saudades também!

    Sandra, hermana, chuvas fortes em Minas Gerais, dias secos no Mato Grosso. Não esqueci de ti, claro que não. Vou te mandar um e-mail. Beijos


  11. Eu li o livro inteiro e o meu é grande… não tem muita graça assim. Esse texto do mar eu conheci no colégio ou tinha na minha primeira agenda da Tribo, não lembro bem… mas os meus preferidos é a Pequena Morte também – tanto que peguei o livro agora e o marcador estava nele. Outro que gosto é O Diagnóstico e a Terapêutica, página 91.

    Olha também A Burocarcia/3, página 62 :)


  12. Fui escrever um post motiva por esse e descobri que comprei o livro por causa de Da função da Arte

    http://fernandasouza.wordpress.com/2004/05/27/galeano/

  13. Cris Says:

    Fê! ótimo, né? Eu adoro. Dei um exemplar igual pra um amigo que foi morar na França no ano passado.

    Tou indo pra cama com o livrinho agora e vou procurar A Burocracia/3. Não me lembro desse.

    Não sabia que tinha na agenda da Tribo! Eu tive uma dessas também… hehehe

    De O Diagnóstico e a Terapêutica eu também gosto. Coloquei isso em algum post e agora não me lembro qual era…

  14. Vica Says:

    Eduardo Galeano é alguém que me falta nas leituras.

  15. moa Says:

    meu preferido:

    A Noite/1
    Não consigo dormir. Tenho uma mulher atravessada entre minhas pálpebras.
    Se pudesse, diria a ela que fosse embora; mas tenho uma mulher atravessada na garganta.

    grande livro.

  16. Cris Says:

    Vica, eu só li esse livro dele até agora. Também me falta…

    Moa,
    Eu me lembro desse texto. Ótimo também. Curtinho, honesto, gostoso de ler. Decorei.
    :)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: