Da boa ironia descritiva, quase criminosa

30/09/2008

“Tropecei, então, com Lady Brandon. ‘Vai deixar-nos tão cedo, Sr. Hallward?’, exclamou. Conhece a sua estranha e estridente voz?

– Sim; é um pavão real em tudo, menos na beleza – disse Lorde Henry (…)”

Trecho de O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde. Estou me vendo aos tombos e post-its. O livro é emprestado e eu não posso sublinhar. Penso em devolver o que comecei a ler e comprar um para mim, só para poder rabiscar. Ainda: personagens de gênio forte e convictos em seus diálogos, extremamente bem caracterizados. 

Outro:

“- Pobre Lady Brandon! Você é severo para com ela, Harry – disse Hallward negligentemente.

– Meu caro amigo, ela quis fundar um salon, e só conseguiu abrir um restaurante. Como poderia eu admirá-la?”

* * *

Terminei de ler Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios. Li rápido, mais da metade no aeroporto de Cuiabá, onde precisei esperar por mais ou menos umas cinco horas antes de embarcar para Porto Alegre novamente. Não foi tão ruim. Há muita coisa para se fazer em um aeroporto, e a vista, embora meio difusa devido à distância, era para a Chapada dos Guimarães. Ainda deu tempo de comprar um licor de Pequi, que já experimentei: a garganta queimou. Adocicado! Maravilhoso!

* A regra é: dois livros por vez. Um de autor estrangeiro; o outro, brasileiro.

Anúncios

17 Respostas to “Da boa ironia descritiva, quase criminosa”

  1. Juliano Says:

    Isso me lembra que o meu Retrato de D. Gray na verdade não é meu, é emprestado, e eu já deveria ter devolvido há 3 anos, pelo menos;

    Tô com três livros abertos, os três de autores estrangeiros, um deles no final, outro no início e o terceiro mais no início ainda;

    Quero saber qual livro escolhido para o encontro na palavraria. E qdo será esse encontro.

    Me ou pq estou prestes a quebrar uma das minhas novas regras que é não chegar mais atrasado no trabalho.

    :)

  2. Juliano Says:

    Esse teu horário aí em cima está todo errado… agora são 7h02min…

  3. Sandra Says:

    Cris, entende quando falo da força dos personagens do Wilde? Engraçado é que eu sempre amava um personagem e depois o odiava. Finalmente, me descobria.
    Wilde é mestre.

    Me deu vontade de ler, novamente…

    cariño,

  4. gabriel Says:

    Bela regra..vou seguir…mas o estrangeiro tem que ser na lingua do autor ou pode também ser em português…beijo pra ti

  5. Vica Says:

    Eu tô com dois livros por vez e não consigo ler nenhum… guria, acho um sacrilégio rabiscar em livro, simplesmente não consigo!

  6. Leonardo Says:

    Pequi é uma coisa errada.

  7. Cris Says:

    Juliano,

    Eu preciso me colocar regras pra leitura, senão não funciona.
    Já vi que tu tá decidido a comparecer :)
    E deixa de ser TIO CHATO. Te atrasa uma vez pra dar um “oi”, pelo menos, já que nas últimas tu nem deu sinal de vida.

    Ah, horário ajustado! :)
    Aliás, o que tu fazia acordado às sete da manhã??

    Sandra,
    Te dou razão total. Em dezembro discutimos melhor isso :)
    Já chego ao ponto de pensar em alguns trechos: “Isso é a cara de tal personagem mesmo”
    Beijocas

    Gabriel,
    Depende da língua, mas preferencialmente em português. Em inglês leio devagar demais :\
    Beijo pra ti também! Coisa boa tu estar de volta :)

    Vica,
    Eu agora tou me organizando. O problema é que a monografia tá se aproximando e foi-se literatura. Vou ter que me puxar e dar uma pausa no lazer. E, bah, eu não sei ler sem sublinhar e anotar coisas. Me perco, acho que tou deixando coisas importantes de lado, sei lá. Mania…
    Outro dia alguém comentou que às vezes dobrava páginas pra marcá-las. Isso acho muita judiaria :\
    Beijocas

    Leonardo,
    Fale mais sobre isso :)

  8. Sandra Leite Says:

    Cris,

    Sonhei com a SUA e MINHA cidade dos sonhos : Buenos Aires! Pensa bem…..reveillon :)

    besos

  9. Leonardo Says:

    Bom moça. Roer um caroço amarelo fedorento e cheio de espinhos me parece uma coisa muito errada! :)

  10. Juliano Says:

    Eu coloquei um Blog Roll lá então fica mais fácil de ver quem e quando atualizou.
    .
    Eu bato cartão às 8h, mas acontece de eu dormir durante a tarde até o início da madrugada e depois seguir acordado até o final do dia.
    .
    Tio? Tipo “tio, aperta o 11 pra mim”?

  11. Paulinha Says:

    Cris,

    Tb gosto desta regra: ler dois livros ao mesmo tempo. Os dois atuais são estrangeiros – Henry James e Saramago. Estilos bem diferentes :)

  12. Anônimo Retornado Says:

    Cara Usineira,

    Lembro de um post seu anterior (acho?), no qual citou que lia o livro do Marçal Aquino.
    Fiquei curioso. Sempre fico quando alguém diz que está lendo um livro que, de uma forma atávica, mexeu comigo. Será que eu li coisas que não estavam lá? Pelo seu comentário, acho que não estou só na “viagem”.
    Vez por outra, ainda debato com o Dr. Schianberg, que é um destes personagens que não existe, mas é muito real.
    Dele fiquei com uma frase: “O segredo não é descobrir o que as pessoas escondem, e sim entender o que elas mostram”
    Sigo sem entender este segredo.

    ab
    Anônimo

    Ps- Seu post mudou de tom ao deslocar-se de paralelo:-> Post geo-referenciado.

  13. Sandra Leite Says:

    Cris,

    Seu texto tá lá no IeBN. Lindo de viver!

    obrigadíssima,

    besos

  14. Cris Says:

    Sandra, em 2010 tá valendo? E o reveillon, bom, nem vou comentar… Ratona! Me trocou pelo Chile!!

    Leonardo,
    como assiiiiim? Não, não. O licor não vem com caroço dentro. É uma garrafinha muito bonitinha com líquido adociçado, delicioso.
    Tudo muito certinho :)

    Juliano, entendido.
    E isso mesmo, “tio, o 11, please?” :D
    Não ME BRIGA por isso.

    Paulinha, acabo de passar mais de 3 horas com a Sandra no telefone!! MUITO assunto pra colocar em dia. Coitada dela no mês que vem, pagando a conta.
    Nunca li nada do Henry James… Tá gostando?
    Fui ver Ensaio sobre a Cegueira na quinta passada. Paula, fiquei pasma. Ótimo, ótimo. Redentor, poético. Adorei!

    Anônimo, o Retornado
    Eu gosto dos teus comentários :)
    Sim, eu citei o Marçal Aquino. Ganhei (ganhei?) o livro de um amigo que foi embora para a Alemanha. Sabe, comentei justamente esse trecho outro dia com a Sandra, do IeBN. Sublinhei-o no livro, inclusive. Dr. Schianberg está coberto de razão. Deveríamos nos contentar em observar melhor o que está na superfície. Talvez ler menos Freud e olhar mais nos olhos. Algum segredo também se consegue tirar deles.
    Bjos

  15. daia Says:

    que martírio ler um livro sem poder grifar nada. deus abençõe o post-it, mas ele bem que poderia colar mais.
    lindo esse livro do marçal aquino. terminei numa sexta e passei o final de semana deprimida, parecia uma louca. é só um livro, eu pensava, mas não mudava nada. vai virar filme do beto brant.
    :)

  16. Cris Says:

    Daia, sabe que eu ficava tentando imaginar como seria a Lavínia? Jura que vai virar filme? Bah, fiquei muito curiosa agora. Não sabia disso. O título do livro já é lindo, espero que o filme fique no mesmo nível.
    :)

  17. daia Says:

    a lavinia deve ser tipo a cléo pires. e o cauby? imagino o paulo miklos!
    :*


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: