Archive for the 'tecnologia' Category

12 segundos para cair no tédio

09/08/2008

Mais um brinquedinho na rede. Agora, além de responder a questão “What are you doing?” usando o máximo de 140 caracteres, também é possível TENTAR dizer/fazer/mostrar qualquer coisa em apenas 12 segundos. O 12seconds segue o mesmo princípio do Twitter, só que é voltado para a publicação de vídeos. O serviço foi lançado no final do mês passado e, apesar de ser gratuito, por enquanto só pode ser utilizado por quem se inscreve no site e recebe convite posterior. Segundo os administradores, norte-americanos, o tempo total dos vídeos foi limitado em 12 segundos porque um conteúdo mais longo ficaria MUITO CHATO. No site eles explicam como determinaram esse tempo-padrão: uma equipe de cientistas, após MUITA pesquisa, chegou à conclusão de que 12 segundos é o tempo limite antes de bocejos, tédio e apatia começarem a aparecer na exibição de vídeos na internet. A partir disso, o projeto foi elaborado por uma pequena equipe de nerds.

Então tá. Eu dei uma olhada nos vídeos. Não dá pra publicar nada, porque eu não me inscrevi no site nem recebi convite e tal, mas dá pra olhar o que já tem lá. Tem desde RAVE DE DEDO até “testandoooo” e ponto final. Não dá mais tempo pra nada.

Eu achei que essa ferramenta só alimenta a minha sede procrastinadora. Na verdade ninguém se importa muito em perder 12 segundos pra ver qualquer coisa. Eu me importo em parar por mais de 5 minutos pra ver um vídeo no YouTube. A história só é outra se o vídeo for O VÍDEO. Mas 12 segundos não vão ocupar muito da minha vida. A questão é que de 12 em 12 segundos eu já passei um tempão na frente dessa coisinha hoje, só pra conhecê-la.

Anúncios

Redes sociais e comportamento do consumidor

21/06/2008

Recebi da minha irmã duas notícias por e-mail hoje. Achei ambas bem significativas. A primeira, abaixo:

Número de perfis do Orkut cai 34% em um ano, revela estudo da comScore

Ao mesmo tempo cresce a popularidade do Facebook, MySpace e HI5

O número de usuários do Orkut caiu 34% na América Latina no intervalo de um ano, segundo dados da comScore publicados pelo IDG Now.

De acordo com o estudo, realizado entre abril de 2007 e abril de 2008, o número de perfis no Orkut caiu de 23,2 milhões para 15,2 milhões. Foram ouvidos internautas com 15 anos de idade ou mais, excluindo acesso de computadores públicos, celulares e PDAs. No mesmo período, o Facebook cresceu espantosos 976%, passando de 717 mil para 7,7 milhões de usuários na América Latina.

O total de integrantes do MySpace, por sua vez, aumentou 45%, o que representa um salto de 3,9 milhões para 5,8 milhões de perfis.

A rede social HI5 também está conhecendo o sucesso na região. Em um ano, avançou de 7 milhões para quase 13 milhões de usuários, um aumento de 79%.

A nota é do Cidade Biz.

Eu não conhecia o HI5. É uma rede social como o orkut e o Facebook. O Donizetti acabou de me contar aqui por msn que foi uma das primeiras que surgiu, e que era bem ruinzinha, mas que foi melhorando com o tempo. O alcance maior é na América Central e Europa, mais especificamente em Portugal. Bem que alguns amigos meus que passaram um tempo morando em Portugal comentaram que lá o orkut quase não era conhecido, e que eles usavam muito outra ferramenta.

Enfim, fiz perfil e dei uma mexida ali pra ver como funcionava. No HI5, diferente do orkut ou do Facebook, tu pode estilizar o teu perfil, bem como se faz com o template de blog, sabe? Usando templates que o site te oferece, prontos. Ainda tem a opção de personalizar o perfil, mudando a cor de fundo, cores dos textos e a própria fonte. Tem uns aplicativos que o orkut não tem, outros que serviram de modelo para o Facebook, que os melhorou (mas exagerou na quantidade… ). Pelos tantos convites que tenho recebido por e-mail pra participar do HI5 e do Facebook, a informação do Cidade Biz se confirma.

* * *

Agora, a segunda notícia, que pode ser lida na íntegra no G1:

“Ibope passa a usar Orkut para entender consumidor

Em um ranking com dez países, o Brasil liderou em abril o acesso à categoria comunidades (78,2% dos usuários domésticos), seguido por Japão (67,1%), França (60,9%), Espanha (59,6%), Itália (59%), Reino Unido (56,6%), EUA (56,3%), Austrália (52,2%), Suíça (42,7%) e Alemanha (37,7%). O Orkut é o mais acessado pelos brasileiros (69,8% dos internautas domésticos em maio). Em segundo lugar fica o Sonico (7,9%), seguido por MySpace (4,8%), Via6 (4,1%), hi5 (2,8%), Haboo (1,7%) e Facebook (1,6%).

Estudo

O primeiro estudo da Coleta RS teve foco voltado ao mercado automobilístico brasileiro. Para isso, foram selecionadas diversas comunidades do Orkut ligadas a grandes fabricantes de carros – elas indicavam uma percepção positiva (eu amo…), negativa (odeio…) ou neutra sobre essas empresas. Um software fez então uma varredura para identificar os 50 últimos usuários a realizarem qualquer tipo de atividade em cada uma dessas comunidades: esses foram os internautas analisados pelo estudo. 

De maneira automática, um robô (software) identificou todas as outras comunidades às quais esses usuários estavam associados. Além disso, também determinou a região de onde são essas pessoas (se um membro do Orkut diz ser do Afeganistão, mas tem diversas comunidades sobre o Rio de Janeiro, entende-se que ele seja carioca). A solução não divulga dados pessoais desses internautas, como seus nomes.

Com base nos dados coletados é possível concluir, por exemplo, que a Peugeot tem mais citações negativas no Rio do que em São Paulo, ao contrário do que acontece com a Volkswagen e com a Ford. Já a GM não apresenta altos percentuais de citações positivas nem negativas, indicando que as comunidades ligadas a ela são, em sua maioria, neutras (têm apenas o nome da fabricante ou modelo do automóvel, sem um sentimento associado).

A Coleta RS também permite avaliar, com base nas comunidades de internautas do Orkut, a associação entre marcas automotivas com as esportivas e de bebidas. A Adidas, por exemplo, é a marca de maior relação com Citroën, Fiat, Ford, GM, Honda, Peugeot, Renault, e Toyota. Já a Nike tem maior relação com a Volkswagen. Esse primeiro estudo foi feito no Orkut, mas futuramente pode ser realizado no MySpace, Facebook, Twitter, blogs, YouTube e diversas outras ferramentas sociais disponíveis na web.

Webworld

13/03/2008

Pra quem gosta de tecnologia, cibercultura, comunicação, mídia e coisa e tal: Intermezzo 

* * *

R$ 1.050,00. Uma bagatela, o preço das inscrições para o World Web Expo Forum, que ocorre em São Paulo nos dias 18 e 19 de março. Nada que não possa ser pago com a venda de um dedo. Ainda me sobram nove, descontando os dos pés.

Dêem só uma olhada na programação.

29/04/2007

[+]  Passei o sábado inteiro sentindo um cheiro adocicado no ar… Vai entender. Hoje deveria ser dia de limpeza nesse computador. Tá uma bagunça. Andei organizando meus arquivos de música. No favoritos, só atualizei a pasta de blogs. E olha que me prometo desde as férias passadas colocar tudo em ordem.

[+]  Conheci o Mashable por causa de um texto do Machi no Thesis. Novidades interativas, dicas de sites… Bem interessante. Favoritos pra ti. Lá tem um texto sobre o Twitter. Curtinho, básico, mas esclarecedor. Fala um pouco da evolução dos blogs, desde 1999, como um diário virtual no seu sentido literal mesmo. Pessoas contando sobre o dia-a-dia (The things my cat did today). Depois fala do Flickr (Cat pistures!), passa pelo YouTube, em 2005 (Moving cat pictures!), e então apresenta o Twitter.

Tinha ouvido falar há pouco tempo sobre o Twitter. Acho que foi no ZHDigital. Acessei o link, dei uma olhada na página. Fiquei por ali, vendo o que os outros faziam. A idéia do Twitter é a seguinte: responder a pergunta What are you doing? São postagens rápidas, diretas, feitas por telefone ou internet contando o que está acontecendo no momento. Quem tem blog, pode colocar o link do Twitter no blog, então o que acontece é que, se a postagem do blog foi há algumas horas, agora se pode também estar mais atualizado ainda, sabendo o que a pessoa fez após atualizar o blog. Clica no Twitter. A internet, no geral, é isso. Cada vez mais as pessoas sentem necessidade de interagir no habitat online. Um blog, que posta sobre o Youtube, linca pro last.fm, que linca de volta pro blog, que tem uma entrada pro Flickr, pro Orkut, pro Twitter, que conta o que estou fazendo no exato momento.

Na real fiquei pensando por que não senti vontade de criar um perfil no Twitter, porque à primeira vista, parecia um negocinho legal. Mas a resposta veio logo: eu não vou me preocupar em ir lá e fazer minuto-a-minuto do meu cotidiano. Me incomodaria, pra falar a verdade. Achei instantâneo demais. Requer velocidade demais na interação. O blog é uma coisa tranqüila, flexível e prática, no ponto ideal. Mas se o blog já é considerado desatualizado em poucos dias, no Twitter, isso é uma questão de horas…